Aldeias Serranas


Clique para aumentar as imagens


As aldeias da serra da Lousã constituem a herança da vida árdua dos povos que teimosamente combateram contra a escassez de recursos numa terra que subsistia apenas da agricultura e da pastorícia.

Símbolo da rudeza das gentes que aqui habitavam, as aldeias - hoje desertificadas - surgem edificadas numa arquitectura simples aonde impera o xisto, pedra de cor escura existente em profusão nestas paragens.

Camufladas entre a cobertura vegetal, as aldeias espantosamente enquadradas no meio - ambiente que as envolve, merecem ser redescobertas pelo seu tipicismo e simplicidade natural.

Inúmeros percursos pedestres devidamente delimitados percorrem as aldeias serranas dos concelhos da Lousã, Miranda do Corvo e Figueiró dos Vinhos, de que constituem exemplos o Candal, o Casal Novo, o Catarredor, o Chiqueiro, a Cerdeira, o Talasnal, o Vaqueirinho, o Gondramaz, o Casal de São Simão e já no concelho de Pampilhosa da Serra, as aldeias de Fajão, Janeiro de Baixo e Machio.

Na serra o tempo perde o seu valor e apenas o espaço impera. Todos os elementos se ligam permitindo uma descoberta do clima, da geologia, da fauna e da flora locais.

A descoberta da serra permite um envolvimento profundo com o meio, possibilitando disfrutar paisagens abertas e majestosas em contraposição com espaços estreitos e acanhados, de quando em quando vislumbrar um javali ou um veado, sentir a brisa sob a ramagem de um castanheiro, de um carvalho ou de um sobreiro e ainda ouvir o murmúrio dos ribeiros que saltitam e serpenteiam por entre as pedras.

Vale a pena passar uma noite na serra... para tal porque não pernoitar numa Casa - Abrigo ou numa casinha em xisto entretanto recuperada?
Na manhã seguinte e depois de uma noite repousante - em que apenas os sons da natureza nos relaxaram - é possível partir pelos trilhos da serra descobrindo em cada ponto do caminho sensações novas que nos descansam o corpo e acalmam o espírito.