Ribeiras da Serra


Clique para aumentar as imagens


Para quem aprecia a frescura de águas límpidas e cristalinas, encontra nas Terras de Entre LOusã e Zêzere, inúmeros cursos de água de menor ou maior dimensão que possibilitam um contacto quase íntimo com a natureza em toda a sua plenitude.

Escavando o seu leito na encosta da Serra, os regatos e ribeiras acabam por serpentear ao longo dos planaltos e vales de encontro ao rio sedento que as acolhe.

Assim sucede a Norte com as Ribeiras de São João e com o Rio Dueça que desaguam no rio Ceira, no Alva que desagua no Mondego e a Sul com as Ribeiras de Pera e de Alge e o rio Unhais que têm a sua foz no Rio Zêzere.

Seguir o curso destas águas é ir ao encontro de uma natureza pintada em tons de azul sempre emoldurada numa paleta infindável dos verdes da floresta...

...é encontrar pequenos açudes e albufeiras, construídos pelo homem, que servem de local para um banho refrescante...

...é deleitar-se com as surpresas do caminho...

...é entrar na história dos antigos moinhos e azenhas que existem em profusão nas sua margens...

...é apreciar uma ou outra cascata e o brilho dos peixes que saltitam!


Fonte: Texto: “Entre a Serra e o Rio… os trilhos ELOZ” – Dueceira, 2000
Imagens: AS/Dueceira, João Viola/Dueceira e do site Site Pampilhosa em Imagens em
www.pampilhosaemimagens.com
Consulta: Trilhos delimitados no Guia "Como percorrer as margens das nossas ribeiras" e inseridos o projecto "O circuito da água: das nascentes até ao Zêzere".