No trilho dos Romanos


Clique para aumentar as imagens

Forno Romano em Pedrogão Grande

“(…)A origem do Concelho de Pedrógão Grande não é ainda objecto de consenso entre os historiadores. Para alguns a história do concelho remontará ao período pré-histórico sendo, no entanto, difícil determinar a época exacta.

A Idade do Ferro é apontada como um dos prováveis períodos em que se terá iniciado a ocupação humana desta área. Tratava-se de uma zona propícia à fixação humana visto a morfologia do terreno constituir uma boa defesa natural, para além da existência de uma flora e fauna ricas e abundantes.

Inicialmente a população ter-se-ia concentrado no Monte da Sra. Dos Milagres no Cabeço da Cotovia pela sua condição de quase fortaleza natural. Mas se alguns vestígios parecem sustentar esta hipótese a verdade é que outras são sustentáveis. As opiniões dividem-se entre as hipóteses de fundação pré-histórica, romana ou mesmo posterior ao estabelecimento dos romanos na Península Ibérica.

Escavações arqueológicas efectuadas e consequentes vestígios e achados encontrados parecem confirmar a ideia de uma ocupação romana. Foram descobertos fornos de cerâmica para cozimento de telha, telhas de rebordo e pedaços de potes decorados, o que associado ao facto de alguns historiadores atribuírem a fundação de Pedrógão Pequeno, em 150 d.C., aos romanos, reforça a ideia de que ambas as localidades tenham a mesma origem. (…)”

É na senda desses vestígios, aliando-se a riqueza dos patrimónios arqueológico, histórico e ambiental, que vos propomos um percurso pelo concelho…

Trata-se de um percurso fechado, ora paisagístico, ora panorâmico que permite contactar com este valores históricos e naturais.

Tem uma extensão de 18 quilómetros e uma duração média de 6 horas. A sua dificuldade é mínima, embora tenha uma aproximação ao rio Zêzere em declive acentuado.

No decurso deste percurso, é possível sentirmos a história em alguns monumentos que teremos oportunidade contemplar.

Finalmente, no posto de turismo local é possível observarmos alguns achados arqueológicos com predominância para as peças cerâmicas.

Forno Romano

Monumento arqueológico, o forno é um testemunho da ocupação romana em Pedrógão Grande.

Via Romana

Ponte Filipina

Situa-se a jusante da barragem do Cabril e acredita-se que tenha sido construída durante a dominação Filipina.

Trata-se pois de uma obra que merece ser admirada; com os seus três arcos, o maior dos quais com vinte e dois metros de vão e vinte e seis de altura foi construída com enormes blocos de granito.

Esta ponte, classificada como Monumento Nacional, foi até ao ano de 1954, data da inauguração da barragem do Cabril, o único elo de ligação com a povoação de vizinha de Pedrógão Pequeno e consequentemente com o Distrito de Castelo Branco.

Estação Arqueológica do Calvário

“(…) As escavações arqueológicas encetadas aquando das obras de remodelação do Largo da Devesa permitiram colocar a decoberto uma pequena área de uma casa romana (Domus) do Século II d.C. e diversas edificações do século IV d.C.

A localização da Domus, a meia encosta, apresenta uma exposição privilegiada entre o cume a pequena elevação, denominado torre e um pequeno riacho que corria na Devesa. Ao redor da casa encontravam-se as explorações agrícolas; hortas irrigadas, olivais, vinhas, prados, campos de trigo e florestas. A via romana identificada a nascente (Valada), assegurava o escoamento das produções agrícolas aqui produzidas. Não é de excluir a hipótese de ter existido por volta do século IV d.C um estabelecimento comercial, Taberna, para apoio aos viajantes (…)”.

Com esta imagem, seria possível construir todo um cenário histórico e inventar personagens dessas épocas perdidas no tempo. É só fazer um esforço e assim tentar compreender um pouco melhor a história deste concelho.

Fontes: Texto - Site oficial do Município de Pedrógão Grande em www.cm-pedrogaogrande.pt (Adaptado)
Imagens: AS/Dueceira e Site oficial do Município de Pedrógão Grande